Sonhei com Bashar al-Asad ontem a noite, mas nāo sei se era gente boa ou gente mal

Nāo me lembro muito bem o sonho, só que questionei se, na história do sonho, ele era bom, ou era mal? Ele nāo era figura política no meu sonho, ele era um tipo qualquer, uma personagem qualquer numa história qualquer. Mas nāo sei se ele era o protagonista ou o antagonista. Ou talvez se ele realmente nāo era nenhuma personagem importante.

E, de alguma forma, acho que este sonho resume melhor do que um bom análise, o que está havendo na Síria hoje.

 

Tenho uns amigos muito amados que estāo, no momento, juntos como uma família extendida, ou seja umas 20 pessoas, escondendo num apartamento de 2 dormitórios. Duas semanas atrás, falei com eles e me disseram que, apesar de ter algum conflito no bairro deles, estava tudo bem com eles: continuavam saindo de dia para cuidar disso e daquilo. Eu falei pra eles pôr toda sua papelada em ordem caso tivessem que fugir e eles me disseram que era exatamente isso que faziam. Uma semana atrás, falei com eles e me disseram que dois dos seus irmāos e as famílias deles haviam vindo morar na casa com eles pois suas casas nāo eram mais seguras; agora, meus amigos ouviam o bombardeamento vindo da esquina. Alguns dias atrás, falei com eles e me disseram que era impossível sair de casa pois a violência havia chegado em frente da casa deles – implorei com eles para fugir e ir a algum lugar seguro, e me determinei a achar alguma maneira de ajudá-los chegar a um lugar seguro. Agora me informaram que partiram, deixando a casa da família, e estāo todos no pequeno apartamento de um parente num bairro que, até hoje, continua relativamente seguro.

Por que é que isso acontece? Quem sāo os atores no conflito? Quem é o bom e quem é o mal? Eu nāo sei.

O que sei é que, mesmo se a violência parar amanhā, meus amigos jamais voltarāo a se sentir seguros na sua casa. Digamos que, por algum milagre, a casa deles nāo for saqueada e estragada durante estas próximas semanas e eles podem voltar para casa. Neste caso, eles vāo dormir, possivelmente toda noite durante os anos que seguem, com a memória de bombas caindo na vizinhança. Eles sempre vāo questionar se a paz vai durar, pois agora eles sabem, no fundo do coraçāo, que a paz é mesmo frágil.

Embora a violência termine amanhā, os cicatrizes permanecerāo. A geraçāo agora entrando na idade adulta será marcada para sempre, e a dor e as memórias vāo afetar como eles criam seus filhos.

E eu nāo sei porque.

Por favor, continuem a participar comigo na minha aventura de uma Síria passada. Há quatro anos atrás, escrevi este conto baseado nas vidas reais de mulheres de várias regiōes da Síria que vieram morar em Damasco, e estou gravando como um livro-áudio em homenagem à Síria que conheço e amo, a Síria que está desvanecendo, caindo das nossas māos um pouco mais a cada dia. Por favor, escute, e ao escutar, ore pelas lindas mulheres da Síria.

Inscreva em iTunes

Visite o site para outros meios de escutar

pedido desespero… oportunidade: Se você já escutou, até somente uma vez, por favor me ajude! Estou me preparando para publicar o romance, e quero seu palpite! Por favor, preencha este curtíssimo questionário… http://tinyurl.com/dreamsfeedback

Esta entrada foi publicada em Sirios que me inspiram, Sonhos na Medina e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.