Igreja-Mesquita, ou Mesquita-Igreja

Minha māe e eu saimos para dar uma caminhadinha outro dia, e nos encontramos com um edifício que, a primeira vista, parecia ser uma igreja. Uma linda velha igreja de tijolos, com um campanário alto.

Igrejas aqui na Inglaterra sempre me fascinam, exatamente por serem, muitas vezes, nāo igrejas. Velhas construçōes que eram originalmente igrejas foram convertidas em tudo que se pode imaginar: escolas, residências, jardins da infância, até bares! Bares com nomes de igreja sāo o mais fascinante de todos para mim.

Isso embora o fato que muitas igrejas, pelo menos no bairro onde moro, se reunem em lojas antigas, em escolas, e armazens… tudo que nāo parece ser igreja. Adminto que algumas congregaçōes ainda se reunem em prédio de igreja, mas as que visitei foram muitas vezes convertidas: ao invés de reunir nos templos arqueados lindos, se reunem num salāo bem menos elegante. Ou, eles converteram esse templo glorioso em uma sala prática para reuniōes com paredes coloridas, carpete, cadeiras modernas, e muito equipamento de som.

Enfim, a disjunçāo sociológica de igrejas, diferente de ‘igrejas’ aqui na Inglaterra e, para mim, uma fonte constante de divertimento.

Entāo, a caminhada com minha māe. Passamos esse lindo velho prédio de igreja, aninhado numa área residencial, mas eu logo percebi que tinha várias placas pintadas com cores alegres. Isso deu suspeita de que nāo fosse uma igreja – um jardim da infância, talvez? Olhei mais de perto e, de fato, nāo era igreja.

As placas coloridas eram inscriçōes do Profeta e de Deus, indicaçōes para a área para homens e a área para mulheres, e uma grande placa confirmando para todos que passavam que era uma mesquita. Escrito na janela com forma de cruz, no topo do prédio, vi a palavra “Mesquita”. O campinário ainda estava lá, menos a cruz.

Olha, posso considerar isso de dois pontos de vista. Primeiro, poderia me sentir ameaçada que os muçulmanos estāo tomando posse das construçōes da minha religiāo. Mas, isso nāo seria justo, pois ainda existem muitas mais escolas e bares, do que mesquitas, em ex-igrejas. E, talvez eu deveria ser, mas nāo me sinto no mínimo ameaçada que educaçāo e embriaguez estejam tomando posse das construçōes da minha religiāo. Entāo nāo vou ser ameaçada por uma mesquita-igreja. Portanto, prefiro ver isso como uma linda comemoraçāo de diversidade, cooperaçāo inter-religiosa. Nāo sei se eu gostaria de frequentar a igreja num prédio que antigamente era mesquita – para ser sincera, acho que me deixaria um pouco nervosa. Entāo tenho um enorme respeito pelos fiéis que oram numa mesquita que antigamente era igreja.

Esta entrada foi publicada em CulturLaçando, religiāo e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.