A Tocha Olímpica no meu bairro!

Agora voltando um pouco para trás a antes das Olimpíadas começar, queria escrever um bloguinho sobre a tocha olímpica que passou a somente poucas centenas de metros da minha própria casa! Meus pais e eu fomos, juntos com minha associaçāo de moradores, para assistir e comemorar.

Bem, creio que ver a tocha olímpica passar pelo seu bairro consta uma ocasiāo histórica, apesar de que de algumas maneiras toda a publicidade e agitaçāo o fez, para mim, um pouco menos divertido do que talvez poderia ter sido. Por exemplo, aprendi que a tocha nāo corre a noite; começou cedinho àquela manhā e passou por outros dois municípios de Londres antes de chegar no meu, tirou um intervalo para almoçar num colégio próximo à minha casa, aí passou por mais alguns municípios durante a tarde. Passou a noite em algum local desconhecido e, por magia, re-apareceu na próxima manhā no rio Thames para fazer a viagem ao Parque Olímpico – uma viagem que David Beckham repetiu num barco super-rápido durante a cerimônia de abertura. Ou seja, tudo foi planejado para que pudéssemos ver a tocha, nāo para a chegada da chama aos jogos.

Como era de se imaginar, a tocha veio muito bem-acompanhada, com representantes da mídia, segurança e VIP’s. Também foi antecipada por veículos comerciais tocando música alta e dando amostras, com jovens alegres dançando no alto. Nāo dou aqui o nome das empresas representadas, pois imagino que eles já tenham gozado de bastante publicidade através das Olimpíadas. Tinha um tom de materaismo falso neste desfilezinho, mas tenho que admitir que antes deles passarem, eu estava lá parada na rua desanimada pela longa espera, mas depois do desfile deles, eu estava batendo palmas e sorrindo e talvez até gritando um pouco na espera pelo grande momento. Entāo eles tinham certa utilidade.

Cada portador da tocha carregou a chama por menos de meio-quilômetro, assim permitindo com que o máximo possível de pessoas participassem no evento. Cada portador tinha sua própria tocha, e passou a chama ao próximo, ao invés de lhe dar a própria tocha. Pessoas nominadas, em reconhecimento de alguma contribuiçāo comunitária, foram seleccionadas como portadores da tocha.

Possivelmente, o momento mais impressionante para mim foi quando descobri que, há somente um quilômetro mais adiante, no meu mesmo bairro, o portador da tocha foi o próprio Amitabh Patchan… sabe, o ator de Bollywood cujo autógrafo valia tanto que o Jamal se enmelecou por completo para obtê-lo, no filme “Quem Quer Ser um Milionário?”. Pois é, ele carregou a tocha. No meu bairro. E eu nāo o vi.

Esta entrada foi publicada em adaptando a londres, comemoraçāo e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.