Um ótimo guia turístico para a cultura Grega

Hoje tenho a honra de postar outra história escrita pela linda Lotus. Se você nāo teve chance de ler seu último post visita, você deve visitar lá assim que terminar de ler isto aqui! Em seguida, visite o blog dela.

Este último dia de sábado, acompanhei minha amiga Cristina (cujo pai imigrou da Grécia) a um festival de comida grega numa igreja Ortodoxa Grega. O festival foi uma experiência completamente inédita para mim. A música, as pessoas, e a comida – fui completamente cercada por uma cultura diferente da minha. Os cheiros eram incríveis, e a fila de pessoas esperando na barraca de comida tinha mais de 30 almas. Cristina e eu entramos na fila logo quando entramos – o cheiro delicioso de carneiro comandou nossa atençāo imediata. Ela me perguntou o que queria, e foi aí que percebi que nāo entendia NADA escrito no cardápio! “Souvlaki”, “Gyro” e “Loukomades”… nenhum deles me soava familiar. Entāo falei pra Cristina pedir outro prato da mesmo coisa que ela comia.

Cristina pediu dois gyros e começou a explicar os nomes. “Souvlaki” quer dizer “espeto” em grego, e eles servem um espeto cheio de carne grelhada – pode ter frango, porco ou carneiro. “Gyro” vem da palavra grega por “virar” ou “círculo”, e eles grelhavam a carne num espeto enorme que girava constantemente, raspando pedacinhos de fora ao cozinharem, aí nos servindo em um pita quentinho com Tzatziki (iogurte estilo grego). “Loukomades” quer dizer “bocada doce” e sāo bolinhos minúsculos de massa doce fritos e cobertos com mel. Cristina me instruiu a por canela nos meus, pois “é o único jeito de comer.”

Enquanto almoçamos, caminhamos e visitamos umas das barracas de roupa que tinha no festival. Tinha uma vendendo balōes do desenho SpongeBob, tacas de luz, e outras coisinhas brilhantes e baratas… o que se espera de um festival. Essa barraca nāo tinha nada a ver com sua platéia grega, mas as crianças adoravam. Do lado tinha uma barraca vendendo produtos do estilo russo – bonecas Matryoshka, vestidos bordados para dança, etc. Isso me confundiu até a Cristina explicar que a igreja Ortodoxa Russa é muito próxima a igreja Ortodoxa Grega, entāo muitos dos russos ortodoxos também estariam participando do festival, e essa barraca servia a eles. Mais barracas seguiam, um vendendo lindas bijouterias de ouro e colares com letras gregas. A Cristina veste um colar desses todo dia – para mim e muitos dos nossos colegas na universidade, parece ser nossa letra “X”, mas agora sei que é a letra grega “Chi”, ou seja, a primeira letra do nome dela. Entrando na igreja, tinha doces e assados de todo e qualquer tipo a venda! Nāo consegui captar os nomes dos variados pastéis doces e salgados, mas Cristina falou que seus prediletos sāo baclava e spanakopita.

No fim da tenda, tinha um enorme palco com espaço para dança grega, que seria mais a noite. Cristina disse que crianças gregas, ao invés de, ou além de, aulinhas de escola dominical na igreja, aprendiam a executar várias danças gregas. Embora ela recusasse a me mostrar alguma, sei que ela é a professora assistente na igreja dela, ensinando as crianças de 5 a 7 anos como dançar. Duranto o tempo que nós passamos lá, tocava música bem alta, e uma menina de 4 aninhos estava exibindo o pouco que sabia da dança grega. A dança se torna em uma competiçāo pros jovens que participam de GOYA – ou seja, a associaçāo de jovens ortodoxos gregos.

Aprendi muito sobre minha amiga Cristina com esta experiência – ela tem grande orgulho em quem é e naquilo que ela faz pela igreja grega, e ela amou demais poder apresentar isso tudo para mim. Mal espero poder levar ela para comer dim sum, onde vai experimentar cha shao bao, ou fazer a dança do leāo no Ano Novo Chinês e ver o leāo recebendo o ano novo, ou entāo ter a oportunidade de alimentar o leāo com “dinheiro de sorte”. Espero que esse intercâmbio de cultura entre nós possa continuar!

Esta entrada foi publicada em CulturLaçando e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.