Sou uma aventureira introvertida

Hoje tenho a honra de apresentar um blog no site de um pastor americano que escreve sobre como é ser um introvertido que trabalha com pessoas. Ele tem uma perspective boa sobre como é ser um introvertido trabalhando em um lugar tāo extrovertido – ou seja, uma igreja.

Eis o link: Introvert Saturday: The World-Traveling Introvert

Para quem nāo lê inglês, eis a traduçāo:

Sábado Introvertido: A Introvertida que Roda pelo Mundo

Nāo sei bem como uma introvertida como eu jamais chegou a ser uma viajante internacional, me mudando a um país novo a cada poucos meses. Cada mudança quer dizer conhecer um novo grupo de pessoas, fazer novas amizades, ir a um grande número de eventos sociais com uma leve esperança de encontrar algumas pessoas com as quais posso me conectar. Da primeira vez, isso foi uma aventura. Das segunda e terceira vezes, até que foi divertido. Porém, depois de meia-década de mudança constante, agora me parece ser um pouco inútil. Amo pessoas e quero ter amigos, mas custa tanta energia tentar sair à procura deles.

Sendo cristā, às vezes luto com ser introvertida. Um dos motivos pelos quais procurei um emprego que me mandasse rodar o mundo era ser uma bençāo às pessoas que conheçeria, aprendendo culturas diferentes e construindo pontes de respeito e entendimento e amor em cantos do mundo onde, triste que seja, esses atributos sumiram abaixo de um fardo de guerra e repressāo. Entāo por um tempo continuei tentando sair e conhecer pessoas novas, mas me encontrei mais e mais sendo aquele sujeito esquisito na festa que fica parado num canto encarando todos os outros, ou entāo a menininha tímida no jantar que nāo fala nem sequer uma palavra, deixando todos os outros nervosos.

Mais recentemente, venho me retirando de tanta socializaçāo, preferindo participar de uma platéia social que inclue muito skype, facebook e blogs – esses sendo relacionamentos que nāo dependem de minha geografia. Às vezes me parece nāo ter sentindo nenhum, pois como posso dizer que estou sendo uma ponte de fé em um lugar se eu nāo tiver nem sequer um amigo?

Aprendi algumas coisas me mudando para lugares novos, sendo uma introvertida que ama Jesus:

– Re-aprendi uma liçāo de vida: Nāo estou nunca, de verdade, só. Meu relacionamento com Jesus é o mais importante que tenho e no qual devo investir, e diferente de alguma idéia equivocada que obti em algum ponto da minha jornada por comunidades cristās, tempo que passo com só Jesus nāo é tempo perdido.

– Comunidade on-line é real. Discordo com aqueles que desprezam Facebook por transferir pessoas a um mundo virtual ao invés de interaçāo face-a-face. Facebook e skype sāo a maneira pela qual mantenho contato com amigos de anos, e embora nāo seja tāo agradável quanto dividir um copo de café com um outro ser humano, esses meios podem ser ferramentas tremendas para investir em pessoas ao longo-prazo. No ano atrás, participei de uma comunidade de blogueiros, Imperfect Prose, e os outros escritores que conheci naquele espaço se tornaram uma espécie de igreja para mim.

– Nunca subestime o ministério que é relacionamentos com colegas. Durante as temporadas nas quais tive uma comunidade forte em igreja, sempre foi fácil me focalizar em amizades de igreja enquanto, com colegas, mantendo relaçōes que nāo passassem de superficiais. Mas quando estou viajando, raramente ficando em algum lugar tempo o suficiente para me introsar em uma igreja local, ainda vou trabalhar num escritório todo dia. Colegas se tornam amigos. Trabalhei com pessoas realmente lindas que eu nāo teria conhecido se nāo fosse jogada em um escritório ao lado delas, e entāo tento amá-los assim como Jesus os ama.

– Nāo posso continuar fazendo esse emprego para sempre. Mudança constante se tornou para mim uma desculpa para evitar tudo que seja inconfortável socialmente (e para uma introvertida como eu, isso é muito!). Entāo agora é hora de me meter em algum lugar, pelo tempo que for preciso, para fazer alguns amigos face-a-face e de longo prazo. E ainda espero encontrar o pique emocional para passar tempo on-line com amigos ao redor do mundo.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.