GRATOS = Gatos+Ratos

Dessa memória eu já tinha esquecido! Geralmente nāo diria que culturlaçamento envolve seres nāo-humanos, entāo talvez esta história nāo constitue algo culturlaçado. Mas é sobre morar em lugar diferente, e é simplesmente uma experiência que vale a pena lembrar.

GRATOS, Amman, Jordânia, 1 de novembro de 2008

Hoje quero retratar um fenômeno do Oriente Médio ao qual finalmente dei um nome este ano, no fim do meu 7o ano passado na regiāo. O GRATO*

O Grato nāo é um ser humano, e nem é um objeto inânimo. Um grato é absolutamente vivo, e esperto, e muitas vezes trabalhador pois se esforça muito só para sobreviver. Em um dia qualquer eu vou passar por pelo menos uma dúzia de gratos, alguns dos quais sāo horrivelmente feios, outros uma gracinha, e outros de dar arrepios. Geralmente, quando passo perto de um grato, é porque também tem uma sacola ou lata de lixo por perto. Os gratos nāo costumam me assustar, mas acho que deveriam. Geralmente eles apertam o meu coraçāozinho, ou entāo me dāo nojo.

Hoje, passei por três gratos mexendo numa grande sacola de lixo na calçada. Estavam rasgando o plástico com o alvo de alcançar todas as iguarias que continha. Nāo seria normal um ser humano tratar os gratos bem, entāo assim que eles perceberam que eu aproximava, abandonaram sua ceia e fugiram para a rua.

Porém, escolhi a pior hora para andar naquela calçada, pois um carro se aproximava, vindo da outra direçāo. E isso quis dizer que os gratos, ao fugir da minha presença imponente, correram direto na direçāo do carro que aproximava. Um grato marromzinho era preguiçoso e devagar, entāo nunca chegou até a rua. O segundo grato, um caráter branco resplandescente, era esperto e ligeiro entāo virou há tempo. O terceiro grato, cinza com listras brancas… SPLAT! Eu gritei, e alto. Acho que nunca gritei tāo alto como uma menininha na minha vida, mas ver um grato chacinado na minha frente… foi um choque.

O carro parou rápido, freios gritando. Eu parei sem poder me mover. O carinha cinza-e-branco se levantou, mexeu um pouco a cabeça, e começou a seguir devarinho os amigos que se encaminhavam para longe tanto do carro quanto de mim. Eu respirei profundo e cumprimentei com um leve sorriso o motorista. Ele foi embora. Eu continuei rumo a casa, e a populaçāo de Gratos de Amman continua alta como sempre.

*GRATO = Gatos que sāo mais como o que se espera de ratos na sociedade

Esta entrada foi publicada em viagem e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.